FC Porto

Sérgio Conceição alerta para jogo “difícil”:

"É mais uma final"

Sérgio Conceição garantiu, este sábado, em conferência de imprensa, que não espera qualquer tipo de facilidade na receção ao Tondela, equipa que ainda luta pela manutenção na I Liga. Em conferência de imprensa, o treinador do FC Porto elogiou, ainda, a evolução de Rúben Semedo e Pepê.

FC Porto obrigado a gerir o plantel: O perigo não tem a ver com estes dois jogos. Vamos jogar amanhã, ao quarto dia, e depois jogamos também ao quarto dia. Perigoso poderá ser o jogo do Boavista. Jogamos na quinta, voltamos no próprio dia ou na sexta-feira, apenas temos sábado para recuperar e no domingo estamos em estágio, porque depois há o período das seleções. Clube e jogador estão preparados, mas não podemos esconder a sobrecarga do calendário e os plantéis que temos em Portugal. Temos de olhar para isso e fazer uma gestão inteligente e criativa. Se calhar, não fui tão criativo no último jogo, mas por outras razões. Achava que aquele onze me dava uma resposta boa para ir para Lyon já com algum conforto na eliminatória, o que não aconteceu. Queria acertar sempre, e depois condeno-me muito, porque sou muito exigente comigo próprio. Mas também não tenho a certeza de que, se metesse quatro ou cinco jogadores diferentes, ganharia o jogo. Fica isto no ar.

FC Porto fora do fair-play financeiro da UEFA: Quando fui para o Vitória SC, o clube estava num período muito difícil, mas no ano seguinte entrou o Pedro Martins e teve uma equipa fantástica, porque eu estive lá a penar. No Sporting de Braga, com Salvador Agra, André Pinto, Marcelo, Djavan… Tudo jogadores praticamente a custo zero, tive de fazer uma equipa, chegar à final da Taça de Portugal após 17 anos e ficámos em quarto lugar. Anos depois, a coisa foi completamente diferente. No FC Porto, tive o desafio de vir para um clube que conhecia, com peso histórico fantástico, mas que iniciava um período difícil a nível financeiro. O meu trabalho era vir para aqui e, dentro dessas dificuldades, tentar dar o melhor de nós para conseguir ganhar. Só ganhando é que vem, como veio, muitos milhões da UEFA, muitos milhões em venda… Tivemos sucesso e ficámos super satisfeitos. Foi o meu trabalho, da equipa técnica e de todos os jogadores que passaram por aqui nestes quatro anos.

Aposta no 4x3x3: Há uns anos, tinha avançados diferente dos que tenho hoje ao nível das caraterísticas. Temos de encontrar a forma de integrar melhor os jogadores que temos dentro de uma ideia de jogo, que tem como base algumas caraterísticas que gosto que os jogadores cumpram. Estamos muito bem, somos uma equipa que cria muito no meio-campo ofensivo. Temos jogadas e combinações fantásticas, e golos espetaculares. Temos também consistência no processo defensivo, não na organização defensiva, que tem vários momentos. Num ou noutro momento, está a faltar o que tínhamos como equipa e que temos de ter. É desse equilíbrio que nós, treinadores, estamos sempre à procura. Desculpem, estive três horas no tribunal, ontem. O tribunal matou-me [risos]. Tendo Pepê, Vitinha, João Mário… Jogadores mais levezinhos, que não conseguem dar o que outros jogadores deram ao longo destes quatro anos. Não tem a ver com o sistema, temos de olhar para o futebol com um objetivo principal, que é ganhar. Dentro desse objetivo, há dois que se dividem: fazer golos numa baliza e não sofrer. Acho que o mais importante é o defensivo, e eu não sou um treinador defensivo. Somos sempre a melhor equipa ao nível dos golos. Importante é guardar o zero, porque garante sempre o ponto mínimo. Muitas vezes, no FC Porto, estas provas internas podem ser enganadoras, porque pensa-se muito no processo ofensivo e em dar essa espetacularidade de que também gosto, mas há outros momentos tão importantes como esse, para que esses jogadores sejam o que são no processo ofensivo, mas também estejam presentes quando perdemos a bola.

A evolução de Pepê: É um jogador explosivo, muito desequilibrador nas situações de um contra um. Agora, ganhando alguma agressividade, consegue, com bastante acutilância, partir de trás para a frente de uma forma muito interessante, jogando como lateral. Dá aquela largura e profundidade ao jogo, mas também joga bem por dentro, porque é um jogador que roda com muita facilidade. Tem evoluído de forma muito positiva, tem ainda um caminho a percorrer, mas estamos a ver um Pepê cada vez mais familiarizado com o futebol europeu, e isso deixa-me muito agradado.

Calendário apertado: Tempo temos, há sempre três dias, mas não há disponibilidade física dos jogadores para trabalhar no campo. É o que mais sentimos. Temos um grupo de trabalho conhece as ideias da equipa e aquilo que queremos, mas, numa semana limpa, fica sempre mais conteúdo trabalho no espaço real do que só em vídeo e no quadro. Mas penso que isso é comum a todos os jogadores.

Rúben Semedo no lugar de Pepe: Está a evoluir da forma que nós pensamos e preparamos, com o principal, que é a aceitação de perceber que tem de passar aqui uma fase de adaptação normal. Está muito melhor, se não não tinha entrado contra o Lyon, mas aqui não tem a ver com ser o substituto do Pepe, tem a ver com as caraterísticas do jogo e do próprio jogador. Naquele jogo, achei que era melhor o Rúben. Se não jogar o Pepe amanhã, pode jogar o Fábio Cardoso. Nada o impede. Depende do que definir como plano de jogo. Aqui, não há hierarquias.

Que jogo espera: As equipas, com o avançar do campeonato, ficam com menos margem para concretizar os seus objetivos. Na vida, quando estamos em dificuldade, por vezes, vamos buscar forças onde pensamos que não temos, e chegamos a determinados limites de superação que não pensávamos que era possível. É muito por aí. Há uns anos, o Petit veio ganhar ao Dragão e fazer uma sequência de vitórias que lhe permitiu ficar na I Liga com esta equipa. Há muitos exemplos disso. Olhando para a tabela e vendo o Tondela naquela posição, sabemos que é uma das equipas que faz mais golos. Estamos atentos, juntamos esses fatores todos e percebemos que é um jogo importante para nós, difícil. Temos de ser nós a ir atrás do que queremos. É uma batalha, mais uma final para nós, das nove que temos pela frente no campeonato, que é o nosso principal objetivo. Vamos tentar estar à altura para conquistar os três pontos.

Antevisão

É um FC Porto empenhado em regressar às vitórias aquele que, este domingo, recebe o Tondela, após a derrota sofrida na primeira mão dos oitavos-de-final da Liga Europa, diante do Olympique Lyon.

Antes disso, este sábado, Sérgio Conceição irá passar pela sala de imprensa do complexo do Olival, onde irá realizar a habitual antevisão à partida da 26.ª jornada da I Liga.

Fique com o Desporto ao Minuto e acompanhe, a partir das 12h00 (hora de Portugal Continental), a conferência de imprensa do treinador dos dragões.

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo