Notícias

Última Hora: Octávio Machado

“Há um antídoto facílimo para esta forma de jogar do Benfica”

O Benfica venceu ontem o Fulham por 5-1, naquela que foi a maior vitória desde que Roger Schmidt assumiu o comando técnico dos encarnados.

Octávio Machado reconhece os méritos do treinador alemão, mostrando-se agradado com a forma como as águias se exibiram diante dos ingleses.

Este Benfica dá bons sinais, começa a absorver algumas das coisas das boas equipas. A pressão alta, a reação à perda de bola, caraterísticas próprias das grandes equipas. Mas essas só acontecem quando todos os elementos da equipa estão comprometidos”, começou por dizer na CMTV.

“Foi um bom início, muito agradável. Os adeptos começam a sonhar com uma grande época. Não é a primeira vez que acontece. Mas as pré-temporadas valem o que valem. Não vou fazer comparações com a época anterior, ou com épocas anteriores, mas o princípio de época vale o que é. Fico muito satisfeito, porque enchemos a boca a falar dos campeonatos big five e o Benfica goleou, com equipas dos chamados big five“, acrescentou.

Ainda assim o comentador prefere esperar pelos jogos a doer para tirar conclusões definitivas sobre o estilo de jogo implementado para Schmidt.

Contudo Otávio Machado já encontrou uma forma para ultrapassar a pressão do Benfica.

“Há um antídoto facílimo para esta forma de jogar do Benfica. É meter a bola nas costas, subir e marcar. Pressionar. O adversário passa de pressionado a pressionar“, referiu.

O também antigo treinador lembra o desfecho do playoff de acesso à fase de grupos da Liga dos Campeões do ano passado, em que o PSV Eindhoven de Schmidt caiu perante o Benfica de Jorge Jesus.

“O Schmidt era o treinador do PSV Eindhoven, tinha uma boa equipa, jogadores de qualidade, fez 180 minutos contra o Benfica marcou um golo. Na segunda mão, inclusive, contra 10 jogadores não marcou nenhum. Isto é real, objetivo“, afirmou.

Por último Octávio Machado manifesta as suas dúvidas quanto aos jogadores que irão permanecer no plantel.

“Estou muito curioso em relação às dispensas. Se o Grimaldo ficar, eu vou cobrar tudo aquilo que disseram dele. (…) Estamos no início de temporada e é natural que todos corram. Há motivação. Qual será a reação deles quando começarem a não jogar? Continuarão a treinar com o mesmo entusiasmo?“, questionou.

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo