Benfica

Radonjic e Lázaro de saída:

“Seria mais fácil apostar num ou dois jovens da formação”

O antigo jogador do Benfica, Luís Filipe, analisou os jogadores que são alternativa a Gilberto no lado direito da defesa encarnada.

. “Há sempre aquele período de adaptação ao clube e à língua e, quando não existe uma continuidade na utilização, o jogador começa a perder confiança nas suas capacidades e já não é capaz de dar a volta”, alerta Luís Filipe. Já sobre Lázaro, admite que a transformação de um ala em lateral pode sempre ter custos. “O futebol evoluiu muito e eu passei por isso. Como era um jogador vertical foi encaminhado para jogar mais em profundidade. Em relação ao Lázaro tudo depende das suas características, se joga mais por dentro, se consegue ser mais agressivo…nem todos os jogadores conseguem fazer essa transformação, e é por esse sentido que defendo a aposta num jovem da formação que pode ser moldado”, conclui.

O sérvio soma escassos 316 minutos de utilização com um golo marcado e sem qualquer assistência. Muito fustigado pelas lesões, o camisola 23 raramente teve a oportunidade de jogar numa posição onde a concorrência é forte. Para ficar, o extremo teria de cumprir 45 minutos em 25 jogos, uma barreira já inultrapassável…mesmo que o Benfica disputasse a final da Champions.

Já Lázaro, por seu lado, chegou ao Benfica numa fase em que André Almeida vinha de uma lesão prolongada e Diogo Gonçalves apresentava problemas físicos na anca. O problema é que o que o internacional austríaco nunca se adaptou à posição em termos defensivos e, apesar de já contabilizar 1.124 minutos, não atingiu os mínimos para a SAD investir na sua continuidade.

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo