Notícias

Sarabia

Saída do espanhol é praticamente um dado adquirido

Saída do espanhol é praticamente um dado adquirido, mas Saleiro revela-se confiante no trabalho do treinador e na política de contratações dos leões.
Carlos Saleiro acredita que a época do Sporting não pode ser classificada como negativa, pese embora os leões tenham perdido o título de campeão nacional para o rival FC Porto. O antigo jogador do Sporting destaca a conquista da Taça da Liga e da Supertaça, bem como a boa prestação na Liga dos Campeões, e elogia o trabalho levado a cabo por Rúben Amorim ao longo dos últimos dois anos.

“Penso que o Sporting fez, novamente, uma grande temporada. Ganhou dois títulos e chegou à fase final do campeonato. Ou seja, esteve na luta pelo título até à penúltima jornada. Por isso, penso que o Sporting deu continuidade ao crescimento interno e à força que vem adquirindo desde a chegada do Rúben Amorim”, começa por dizer Carlos Saleiro, em exclusivo ao Desporto ao Minuto, prosseguindo.

“O Sporting está estabilizado e tem de continuar nesta filosofia e com esta forma de interagir com os adeptos, para eles perceberem que está melhor e capaz de lutar contra Benfica e FC Porto. O apuramento para os oitavos de final da Champions também foi uma grande conquista, além de ter garantido novamente a entrada direta na próxima época. É mais um grande trabalho do Rúben Amorim e de toda a estrutura“, explica.

Defesa foi ponto frágil 

Saleiro admite que a coesão defensiva do Sporting ficou “um nível abaixo” em comparação com a época anterior. O antigo avançado dos leões destaca as várias lesões de jogadores importantes que acabaram por ter interferência direta no momento defensivo.

“É visível que o Sporting em termos de consistência defensiva esteve abaixo do nível da época passada, mas também acho que foi devido às várias mudanças no eixo defensivo por causa de lesões e castigos. O Sporting abanou ali um bocadinho, o que prejudicou bastante. O Palhinha também se lesionou e não sendo um defesa, é um médio que ajuda no momento defensivo. Houve mais instabilidade na defesa durante esta temporada“, lamenta.

Amorim vai resolver saída de Sarabia 

Pablo Sarabia será, por ventura, o jogador em maior destaque na temporada do Sporting, que chegará ao fim no próximo domingo, mas os adeptos parecem já resignados que o avançado espanhol não ficará em Alvalade, concluído o período de empréstimo do PSG. Ora, Saleiro revela-se confiante de que Rúben Amorim conseguirá encontrar uma solução à altura do internacional espanhol que, diga-se, acumula um saldo de 20 golos e oito assistências num total de 44 jogos com a camisola leonina.

A saída do Sarabia é uma grande perda para o Sporting, obviamente, mas penso que o Rúben Amorim vai arranjar uma solução à altura. A política de contratação do clube tem sido muito boa e será encontrada uma solução. Ainda não sabemos se vai continuar ou não, mas parece-me difícil”, sublinha, para depois lembrar que Edwards pode assumir maior protagonismo na próxima temporada.

“O Edwards está a adaptar-se àquilo que é o Sporting e tem mostrado qualidade. Tem de ganhar a titularidade aos poucos, porque sente-se que é um jogador especial e com características que os adeptos gostam. Falta-lhe alguma consistência e estar sempre ligado ao jogo para que possa assumir a titularidade definitivamente“, reitera.

Caso Slimani bem gerido

Tal como Edwards, também Islam Slimani chegou no passado mês de janeiro para reforçar o Sporting. No entanto, o regresso do avançado argelino a Alvalade ficou longe de correr bem, uma vez que acabaria afastado do plantel por divergências com Rúben Amorim. Na ótica de Saleiro, o treinador do Sporting agiu bem ao dar prioridade ao lado coletivo.

“A situação do Slimani é interna e creio que o Amorim tem gerido bem. Não há muita informação sobre o caso, mas fica evidente que o Amorim não gosta destes conflitos e à mínima situação risca o jogador, que deixa de ser opção. Já é público que não fará parte do plantel na próxima época. Os jogadores não têm que ser mais do que o grupo. Os grupos têm de ser sempre coletivos e se o Slimani não pensou em termos coletivos, acho que o Amorim agiu bem”, defende.

Vários ativos na montra 

Carlos Saleiro colocou um ponto final na carreira de jogador em 2017, mas continua ligado ao futebol no papel de empresário. O agente da Oxysports acredita, por isso, que o Sporting terá um verão agitado no que diz respeito ao mercado de transferências e aponta Matheus Nunes, João Palhinha e Gonçalo Inácio como os maiores ativos dos leões. No entanto, há um dado a ter em conta.

“Olhando para o plantel do Sporting, há muitos jogadores que se destacaram, mas os títulos trazem valor acrescentado. O Sporting tem ganho títulos nos últimos dois anos e há jogadores bem cotados. Falo de Matheus Nunes, Palhinha, Gonçalo Inácio… O próprio Pote, que não fazendo uma grande temporada, tem mercado. São jogadores que podem valer uma verba significativa ao Sporting. Mas há um ponto importante. O Mundial é apenas no final de 2022 e os jogadores podem não querer arriscar uma saída agora e o próprio clube pode não querer vender agora, porque os ativos podem valorizar ainda mais daqui a seis meses. Vai depender muito das propostas que chegarem. Acho que o Sporting pode fazer um encaixe financeiro muito grande com dois ou três jogadores”, remata o antigo avançado, que manteve uma ligação contratual com o Sporting durante 17 anos.

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo