Benfica

Nélson Veríssimo arrasa Rui Costa

não aguenta

Nélson Veríssimo: «Certamente vai servir para refletirmos o que andamos aqui a fazer»

Técnico do Benfica garantiu que a “equipa fez um mau jogo em Braga”

Nélson Veríssimo reagiu à derrota do Benfica em Braga consentida esta sexta-feira, no jogo antes da primeira mão dos quartos-de-final da Liga dos Campeões, ante o Liverpool. O técnico dos encarnados

“Fizemos um mau jogo em Braga. Antes do 2-0, sentimos que não fomos a equipa que podemos ser. Perdemos o controlo com bola e sem bola. Portanto, até ao 2-0 não entrámos bem. Na 1ª parte não conseguimos ligar o jogo. Estivemos muito abaixo neste regresso após a paragem para as selecções. É verdade que depois, perante uma desvantagem, a equipa consegue reagir e fazer o 2-2. Quando era expectável que o Sp. Braga acusasse este empate e nós fossemos à procura da vitória, sofremos o golo depois de uma bola parada, Sentimos que não deve acontecer. O que fica é o mau jogo que fizemos. Temos de recuperar e fazer uma análise do jogo e 3ª feira já temos aí outro desafio”, começou por explicar à Sport TV, lamentando que a formação da Luz não tenha conseguido espaços para atacar a profundidade.

“Para fazer golo temos de rematar à baliza. Nós sentimos que um dos problems que tivemos hoje foi a criação de espaços para atacar a profundidade. Não tivemos essa capacidade. Sentimos que poderíamos ter feito muito mais, jogadores e equipa. Está aqui o treinador para assumir essa responsabilidade”, acrescentou.

Já face ao facto de não dar continuidade às vitórias, Veríssimo pediu introspeção.

“As derrotas nunca são benéficas. Obviamente num clube com esta responsabilidade, sabemos que o único caminho é ganhar. Quando alguma coisa não acontece é porque algo não está bem. Certamente vai servir para nós refletir-nos o que andamos aqui a fazer, todos em conjunto. Depois, perceber o que fizemos e transportar isso para o jogo com o Liverpool. Será um jogo de grau de dificuldade elevada”, afirmou o treindor.

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo