FC Porto

FC Porto: Há uma propaganda que está acontecendo sobre a saída de Taremi

Taremi entre os jogadores iranianos unidos no luto e pesar por Mahsa Amini

Morte da jovem curda depois de ter sido detida pela “polícia da moralidade” tem motivado imensos protestos no Irão.

O Irão vive dias de enorme agitação depois da morte de Mahsa Amini às mãos da “polícia da moralidade”, alegadamente pelo uso incorreto do hijab, o véu islâmico.

A jovem curda, 22 anos, esteve três dias em coma antes de falecer, no rastilho para uma onda de protestos e revolta, motivando confrontos com a polícia do estado em múltiplas cidades.

O negro em forma de luto tem sido utilizado como gesto de solidariedade e pesar, e Mehdi Taremi está entre os vários jogadores da seleção do Irão que se juntaram a esse movimento.

No Instagram, avançado do FC Porto trocou a sua foto por uma imagem do território iraniano preenchido a preto, enquanto outros colegas usaram um simples círculo negro, mas todos na partilha de um gesto de apoio.

 

Além disso, e ao contrário do habitual depois dos jogos, pelo menos uma boa parte desses jogadores não fizeram qualquer publicação no Instagram horas depois de um sempre impactante triunfo frente ao Uruguai. Taremi, recorde-se, apontou o golo que valeu a vitória (1-0) da equipa orientada por Carlos Queiroz.

 

A ação, naturalmente, não passou despercebida aos iranianos e as reações dividem-se entre os aplausos e os incentivos a que tomem posições mais fortes.

 

Os iranianos estão nas ruas de mais de 80 cidades, sem esquecer as manifestações de apoio em vários pontos do mundo, como em Lisboa, por exemplo, enquanto chegam imagens de cada vez mais mulheres a cortarem o cabelo em público e a queimarem os hijabs.

Por outro divergem os números relativamente às mortes de civis nos protestos.

Organizações de direitos humanos apontam a pelo menos 31, enquanto a televisão pública fala em 17 vítimas.

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo