Benfica

Darwin dá asas à luta pelo segundo lugar:

As notas do Benfica-Vitória SC

Avançado uruguaio bisou após Gonçalo Ramos abrir as contas na Luz.

OBenfica recuperou terreno, na tarde de domingo, na luta pelo segundo lugar depois de receber e vencer o Vitória SC (3-0), um dia depois de o Sporting ter tropeçado na Madeira, na visita ao Marítimo. Numa exibição sem grande brilho, as águias cumpriram o objetivo principal: encurtar distâncias perante o rival.

Com Darwin Núñez a bisar e Gonçalo Ramos a abrir as contas, o momento da tarde na Luz ficou guardado para Roman Yarmechuk. Aos 62 minutos, o avançado ucraniano do Benfica foi a jogo e durante alguns minutos o futebol ficou em suspenso. Yaremchuk recebeu ainda, num gesto simbólico, a braçadeira de capitão, até então usada pelo colega Vertonghen, e quando entrou no relvado não conteve as lágrimas.

Depois do empate com o Ajax, que deixa a eliminatória da Liga dos Campeões em aberto, o Benfica recebe, asssim, nova dose de oxigénio na luta pelo segundo lugar do campeonato.

Vamos aos protagonistas.

A figura

Darwin Núñez continua a marcar golos e ontem acrescentou mais dois à conta pessoal. Ora encostado à faixa, ora no centro do terreno, o goleador uruguaio é um perigo à solta e no primeiro golo tem total mérito pela forma como coloca a bola no poste mais distante. Feitas as contas, contabiliza 25 tentos na presente temporada, 20 deles no campeonato, competição na qual é o líder dos marcadores.

A surpresa

Gilberto nem sempre toma as melhores decisões e tem colecionado exibições abaixo do razoável nesta aventura pelo Benfica. No entanto é justa destacar o contributo positivo no jogo ontem. Assistiu para os primeiros dois golos com muito critério e através de cruzamento, algo que pouco ou nunca fazia aquando às ordens de Jorge Jesus. Uma das melhores exibições do brasileiro com a camisola das águias.

A desilusão 

Oscar Estupiñán não é o culpado de todos os males do Vitória SC, mas a verdade é que desperdiçou duas grandes oportunidades de golo aos oito e 13 minutos. Se tivesse marcado uma delas, talvez o jogo tivesse sido bastante distinto. A falta de eficácia pode custar muito caro a quem precisa tanto de pontos.

Os treinadores

Nélson Veríssimo cumpriu o 12.º jogo ao serviço da equipa principal das águias e terá tido, na tarde de ontem, um dos jogos mais tranquilos desde que sucedeu a Jorge Jesus no comando técnico. A equipa conseguiu chegar à vantagem numa fase ainda muito inicial, e num período em que o adversário parecia mais perigoso, e na segunda parte viu as águias matarem o jogo nos primeiros instantes. As ausências de Otamendi e Weigl, por castigo, não se fizeram notar.

Pepa continua no centro de muitos problemas. O Vitória SC revela muitos problemas defensivos e na Luz voltou a verificar-se que é preciso mais e melhor na hora de defender. Além disso, a falta de eficácia também se paga caro, nomeadamente contra adversários de maior calibre.

O árbitro

André Narciso teve uma tarde sem grandes incidentes na Luz. No lance de maior dúvida assinalou grande penalidade, decisão que também acabaria aprovada pelo VAR.

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo