FC Porto

“Persistência de Eustáquio foi fundamental para chegar ao FC Porto”

Stephen Eustáquio é o mais recente reforço dos dragões, mas as atenções não são de agora. Foi do Campeonato de Portugal à I Liga em menos de nada e hoje é visto como uma das grandes revelações dos últimos tempos no futebol nacional. Quem trabalhou com ele, tal como Tiago Fernandes, não deixa de lhe tecer rasgados elogios e reconhecer a expectativa que paira no ar nesta nova aventura no FC Porto.

Aquilo que o Paços de Ferreira perdeu, o FC Porto ganhou. Os dragões não deixaram escapar a oportunidade de resgatarem neste mês de janeiro um dos jogadores sensação das mais recentes temporadas do futebol português. Stephen Eustáquio foi confirmado como reforço da turma do Dragão, uma aposta dos azuis e brancos para ‘refrescar’ o meio campo, isto depois da saída de Sérgio Oliveira para a AS Roma.

Os 74 jogos que disputou na equipa do Paços de Ferreira nas últimas três épocas serviram a Eustáquio para chamar a atenção que já tinha para muitos desde 2017, quando saltou do Campeonato de Portugal para o Leixões. Desde essa altura até ao momento, o jovem médio subiu à I Liga no mesmo ano em que rumou às competições profissionais e, pouco tempo depois, lançou-se às feras no estrangeiro, num contexto competitivo que poderia ter representado um risco para uma carreira na Europa.

Em conversa com o Desporto ao Minuto, Tiago Fernandes, treinador que trabalhou com Stephen Eustáquio no Desp. Chaves na temporada 2018/19, fez um desenho do médio luso-canadiano. O jovem técnico, neste momento livre no mercado, caracterizou o jogador de 25 anos como um jogador de qualidade, não deixando de lado os pontos que o médio precisa de melhorar nesta nova fase da carreira.

“Considero-o um médio número 8 que joga como ‘box-to-box’. É um jogador que gosta de levar a bola para a frente, que gosta de num sistema em que a equipa privilegie uma organização ofensiva com muita posse, um jogador que gosta de tocar curto ou longo, que tem uma resistência um bocadinho acima da média, que aguenta muitos quilómetros em todos os jogos e sempre com uma intensidade elevada. A defender, é um médio de equilíbrio, que corta linhas de passe, que gosta de pressionar alto. Agora, a jogar no FC Porto, num sistema de dois médios, precisa de melhorar especialmente a capacidade nos duelos aéreos. É um jogador que pode aparecer mais nas zonas de finalização, que ele gosta, e melhorar a qualidade do remate, a potência do remate, porque é um médio que precisa de fazer mais golos”, reconheceu Tiago Fernandes.

A figura do jogador nunca se desvincula da pessoa e o técnico ex-Desp. Chaves ainda tem bem traçado o perfil do Eustáquio que percorria os corredores do Municipal Engenheiro Manuel Branco Teixeira.

“É um miúdo fantástico. É um miúdo com uma personalidade muito boa, com um carácter muito forte, que gosta de aprender, que já está habituado a viver sozinho, que veio para Portugal há muitos anos e que se conseguiu impor em divisões inferiores, o que nunca é fácil. Ele tem crescido muito em termos pessoais e teve uma adaptação muito boa ao futebol português”, considerou o treinador de 40 anos.

Tiago Fernandes confessa que já conhecia Eustáquio de outras anos e que o contacto que teve com o jovem médio no clube transmontano serviu para identificar os pontos menos fortes do jogador. Como é natural na função de um treinador, Tiago Fernandes ajudou Eustáquio a transformar as fraquezas em forças e reconhece melhorias nas capacidades do médio.

“Já conhecia o Stephen quando cheguei ao Desportivo de Chaves. O que eu vi foi um jogador que, para idade e maturidade que apresentava, tinha uma preponderância que não era normal. Havia alguns aspetos que achava fundamentais para a carreira dele como jogador, como a qualidade do passe, a potência do remate, a agressividade e intensidade em termos ofensivos, e percebi que ele tinha condições para melhorar esses aspetos e ser um médio mais moderno, que pudesse até vir a ganhar mais dinheiro. Para se ser um médio um bocadinho diferente, é preciso fazer-se coisas diferentes. Penso que ele melhorou bastante isso”, disse.

Na mesma época, 2018/19, Eustáquio já revelava qualidade no seu jogo. Tudo se tornou surpreendente quando o luso-canadiano foi vendido ao Cruz Azul do México. Tiago Fernandes viu nessa transferência uma oportunidade de mercado para o Desportivo de Chaves, que aproveitou o interesse do estrangeiro em detrimento da desatenção dos grandes nacionais, e um salto financeiro para o próprio jogador. Ainda assim, o técnico reconheceu que a pouca expressão do futebol mexicano poderia revelar-se um risco.

“Ele foi ganhar um bom ordenado. São oportunidades que aparecem. Ele sabia que era um campeonato que não tinha a visibilidade de um na Europa, mas também era uma competição muito interessante e um país com tradição e muita gente nos estádios. Eu sabia que ele também se queria impor na seleção do Canadá e, jogando ali com regularidade, seria benéfico para ele. Para sair para o Desportivo de Chaves pelo valor que foi, teria de ser para um clube grande. Se aqui em Portugal ninguém quis apostar nele, ele acabou por fazer o trajeto dele de outra forma”, afirmou.

A mais recente transferência para o FC Porto, no entanto, não se revelou risco algum. Tiago Fernandes prevê competitividade na zona do meio campo dos dragões, mas vê o médio de 25 anos pronto para o novo desafio.

“Ele está preparado. Vai apanhar três concorrentes diretos na posição, Uribe, Vitinha e Bruno Costa, mas penso que Sérgio Conceição vai usá-lo para colmatar a saída de Sérgio Oliveira”, acredita o técnico.

Com a entrada de Stephen Eustáquio, o FC Porto ganha um jogador com características próprias e com capacidade de dar outro pulmão ao meio campo, diz Tiago Fernandes.

“Vai adaptar-se bem ao sistema de Sérgio Conceição. Tem capacidade de jogar a baixo e a cima, ou seja, é um médio de construção, mas que também tem chegada à área. Num sistema de dois médios, ele tem muito andamento para ligar o jogo e para recuperar em termos defensivos. Acho que é isso que Sérgio Conceição vê nele, um jogador que está preparado para substituir Uribe ou Vitinha”, disse.

Depois de ter trabalhado com Eustáquio no Desportivo de Chaves, e conhecendo as capacidades do jovem médio, Tiago Fernandes admite que o levaria para qualquer equipa do futebol português pela sua composição técnica e psicológica.

“Em Portugal, levaria o Eustáquio para qualquer equipa. Ele é um jogador com qualidade e um miúdo fantástico, que quer sempre aprender, que quer ver os vídeos dele, quer ver onde é que pode melhorar, onde é que pode crescer. Tudo o que ele tinha de pontos fracos, ele conseguiu melhorar muito nos últimos anos e a persistência em melhorar aí foi fundamental para chegar ao FC Porto”, reconheceu Tiago Fernandes.

Apesar da transferência consomada, Stephen Eustáquio ainda não faz parte das opções de Sérgio Conceição. O médio de 25 anos está a cumprir isolamento e, por isso mesmo, ainda não treinou com a equipa nem deverá estar apto para ir a jogo frente ao Marítimo no próximo domingo.

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo