Sporting

Atenção Sportinguistas: Ricardo Oliveira

Nesta quarta-feira, em declarações ao canal do clube

Nesta quarta-feira, em declarações ao canal do clube, Frederico Varandas (lista A), Ricardo Oliveira (B) e Nuno Sousa (C) debateram durante 1h30, no único confronto que colocou frente a frente os três candidatos às eleições no Sporting, sobre alguns dos principais temas que marcaram a atualidade verde e branca nos últimos anos.

Um ato eleitoral que se realiza no próximo dia 5 de março e cujo mandato é compreendido entre 2022 e 2026. Confira abaixo as ideias fortes dos três candidatos:

Análise ao futebol do Sporting

Frederico Varandas: Fico contente que ambos estejam contentes como está a ser gerido o clube desportivamente, treinador, diretor. Mas quando falam em dois anos erráticos… Este foi um mandato histórico, com mais títulos que os rivais, seis no total, quatro com um treinador e dois com outro. É preciso respeitar os treinadores, Marcel Keiser foi o mais bem sucedido do Sporting a seguir a Rúben Amorim nos últimos 13 anos. Fui eu que escolhi ambos.

Nuno Sousa: Terei um assessor a quem comunico em primeira mão, ser o Augusto Inácio. Pôs fim a um longo jejum. O Sporting tem – e digiro-me a si, Frederico Varandas – tratado muito mal Augusto Inácio. Nem os parabéns lhe dão quando faz anos; a sua mãe faleceu há pouco tempo e nem condolências teve. É o mesmo que daqui a 20 anos não dar os parabéns a Rúben Amorim.

Questão da formação: Vemos no passado que Paulo Bento apostou na formação, com melhores resultados. Nos primeiros anos de Bruno de Carvalho igual. Em 2020/21, com uma forte base da formação também. TT, Jovane, Nuno Mendes e Eduardo Quaresma saíram e parece que já estamos novamente a voltar atrás. Sempre que apostamos na formação, temos melhores resultados.

Ricardo Oliveira: Para já o Sporting tem essa pessoa, e se está a vencer com o treinador atual não quero chegar e dizer que está tudo mal e vamos mandar tudo embora. Vamos avaliar. Não quero vir fazer uma política de terra queimada, há coisas que devemos aproveitar do que Frederico Varandas fez. Mas quero fazer melhor a outros níveis. O Sporting não é só um clube de futebol, há muita coisa para fazer além do futebol. Defendo aumentar receitas, temos de investir para criar valor. Defendo um balão de oxigénio que entre para possibilitar a treinadores como o Rúben Amorim que tenham uma estrutura com capacidade financeira para ter uma equipa que lhe permita competir com as equipas lá de fora. Hoje não o tem.

Situação financeira do clube

Ricardo Oliveira: Os dois primeiros anos, financeiramente, foram um desastre, os números e relatórios dos auditores assim o dizem. São dois anos desastrosos. […] Os números que Frederico Varandas aponta não estão refletidos nos relatórios e contas, enganou-se aí em diversas coisas, não tomou bem as suas notas, de certeza. Eu não falei dos últimos dois anos de mandato, falei dos dois primeiros, em que esta direção falhou muitas vezes. Falo de um Doumbia, Tiago Ilori, Borja, Renan, Luiz Phellype, Sporar, Rosier, Camacho, Eduardo Henrique… Em contas redondas são 30 milhões de euros atirados ao ar.

Tenho um plano para trazer 150 a 200 milhões, porque essas pessoas confiam em mim. Mas se lhe emprestam dinheiro caro [a Frederico Varandas] é porque, se calhar, em si não confiam. Da mesma forma que não vou discutir coisas de medicina consigo, parece-me que discutir finanças comigo é um tiro ao lado.

Frederico Varandas: Dizem que os dois primeiros anos financeiros foram desastrosos. Está errado. Quando tomámos posse tinha dois anos de receita antecipada e agora até está com menos tempo. Receitas? Ricardo Oliveira fique sabendo que em Fevereiro atingimos recorde de sempre de receitas operacionais, excluíndo vendas de jogadores.

[Críticas dirigidas a Ricardo Oliveira] No passado já ouvimos esta cantilena do investidor com o maço de notas na mão. Isso não existe a menos que seja para comprar a SAD, é o seu amigo que vai comprar a SAD? Credibilidade é trabalhar com os melhores e mais reconhecidos.

Sobre as VMOCS eu sou presidente da administração da SAD e por responsabilidade e deveres com a CMVM não posso anunciar. Dividimos em duas fases, em novembro de 2019 conseguimos garantir a recompra a 30 cêntimos como estava alinhavado. Havia 47 milhões de dívida vencida que temos de resolver. Estamos a concluir o processo de recompra das VMOCs. Posso garantir aos sócios que vamos recomprar as VMOCs. A segunda fase está em andamento. A curto prazo podemos dar excelentes notícias

Nuno Sousa: Ricardo Oliveira confunde SAD e clube, é o clube que tem de comprar as VMOCS. O que podemos ver é que existe uma dívida de cerca de 90 milhões a fornecedores, depois vamos ver se não é mais somando os Vinagres da vida. Se calhar vamos acabar nos 200 milhões. Lembrar a teoria do caos com 40 milhões de dívida em 2018, agora parece que Varandas não vê caos nenhum com este défice de tesouraria. A situação não parece ter melhorado.

Varandas e a relação com os sócios

Nuno Sousa: O mandato que agora termina tem o pecado de péssima relação com os sócios. O mote da campanha era unir o sócio e esse mote falhou completamente. Há uma clara falta de transparência na gestão e falta de liderança e competências. Dizemos e reafirmamos que sem sócios não há clube.

Frederico Varandas: Respondo ao Nuno sobre a falta de empatia com os sócios. Nós nunca vamos ter o culto da personalidade. Se há coisa que eu sinto é que esta direcção tem é com os sócios anónimos. Todos os sócios, após a derrota com o City, estavam a aplaudir o que o Sporting fez nos últimos anos, e para mim e para a minha equipa todo o trabalho e os sacrifícios foram recompensados.

Ricardo Oliveira:  Com certeza estou de acordo com ele, gostei muito de ver e de sentir toda aquela manifestação orgulhosa daquela equipa e treinador após o jogo com o Man. City. Os adeptos e sócios do Sporting têm uma grande empatia com a equipa de futebol e com o seu treinador. Este resumo de um mandato de 4 anos não se pode cingir ao que é uma manifestação dos adeptos no estádio.

Primeiras declarações dos três candidatos

Frederico Varandas: Há três anos e meio decidimos candidatarmo-mos pois acreditávamos que era possível melhorar o Sporting. Sporting está muito melhor, mas podemos continuar a crescer.

Nuno Sousa: Candidatamo-nos porque somos a verdadeira e real alternativa. Queremos ser reconhecidos por ideias desenvolvidas ao longo de dois anos. Achamos que este é o mais vasto e profundo prorama eleitoral apresentado no Sporting.

Ricardo Oliveira: Não me candidato contra ninguém, candidato-me porque acredito num projeto vencedor para o Sporting.

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo